Categorias

Mais recentes

CLUBE FAZENDA NOTA 10

CLUBE FAZENDA NOTA 10! INICIATIVA AJUDARÁ QUEM NÃO CONSEGUE MEDIR OS NÚMEROS DO REBANHO

11 de Outubro de 2023

Leia mais

Mais visitados

Aprofunde-se no plano de negócios, pois na prática, nem tudo dá certo

Era o aluno mais motivado de uma turma de um de nossos cursos de gestão de fazendas. A mudança seria radical no projeto, mas ele estava decidido, pois a ideia prometia mui

29 de Março de 2019

Leia mais
Saiba como evitar o desperdício na Pecuária

Para o pecuarista obter maiores índices de lucratividade, em sua propriedade, não basta apenas produzir e vender mais, é necessário também controlar custos e evitar desperdícios, o que acaba ocorrendo

27 de Maio de 2020

Leia mais
Solução Completa para Gestão de Fazendas Lucrativas

A pecuária atual não é mais para amadores, o gerenciamento da empresa pecuária é fundamental. Para ser um excelente gestor, o produtor precisa conhecer os principais indicador

26 de Abril de 2022

Leia mais

Veja como sua fazenda de recria e engorda pode faturar R$ 1.700 por hectare

https://youtu.be/Pz1gs87b6Cs

Expressivos R$ 1.677,00 por hectare – foi este o resultado apresentado por um grupo de fazendas voltadas à recria e engorda com menos de mil hectares que participaram do levantamento da benchmarking safra 2019/2020 realizado pelo instituto Inttegra. Em novo capítulo do quadro Dicas do Chaker, o diretor do instituto Antônio Chaker, zootecnista e mestre em produção animal, explicou o que levou essas propriedades a esse resultado.

“A cada ano que passa a gente fica mais impressionado com o que a pecuária pode fazer, o que a pecuária pode entregar. Quando você analisa os números e vê que o que realmente as fazendas de recria e terminação com menos de mil hectares entregaram, é realmente uma tijolada para você ver o potencial que nós temos”, animou-se.

Chaker explicou por que razão separou em dois grupos as fazendas de recria-engorda, adiantando que na próxima semana tratará do resultado das propriedades com área maior que mil hectares. “Quando eu analiso uma fazenda de recria e terminação em área inferiores a mil hectares, por que a gente separa? Porque o comportamento […] é bastante distinto”, simplificou.

Chaker apontou que, dentre todas as fazendas de recria e engorda dentro desse tamanho que participaram do benchmarking, o resultado médio foi R$ 214,00 por hectare. Mas o grupo das 30% mais rentáveis chegou a esses R$ 1.677,00. “Pense no orgulho, no coração batendo forte falar sobre isso!”, celebrou.

“Esse conjunto muito importante de propriedades entregou mais do que R$ 1.500,00 por hectare e esse dinheiro foi suficiente para gerar 5% de resultado sobre o que vale a terra23% sobre o que vale o rebanho1,7% ao mês10% de margem final sobre tudo que gasta, uma margem sobre a venda de 35% e uma arroba produzida a R$ 121,00. Então esse perfil de fazenda é de propriedades com maior volume e com menor margem”, apresentou.

Na sequência, o consultor apontou quais são os indicadores que levaram essas fazendas a ‘fabricarem’ tal resultado. “Se prepare: sente-se que você vai, agora, ver números raros de serem encontrados na atividade pecuária até esse ano”, anunciou.

“Nós temos justamente fazendas que produzem ou entregaram 51,2@ por hectare. […] E eu estou falando que um terço das propriedades top rentáveis para recria e engorda abaixo de mil hectares produziram dentro da fazenda toda – não numa área específica – mais que 50@ por hectare”, revelou.

“Todos os animais tiveram ganho de peso médio de 691 gramas por dia, do dia que chegou ao dia que foram abatidos, com uma lotação a pasto de 2,4 UA/ha e uma lotação global de 3,8 UA/ha. Então percebam o efeito do confinamento, por exemplo, das estratégias de recria fechada, como elas impactaram justamente a lotação dessas fazendas de recria e engorda com menos de mil hectares”, destacou.

“Essas propriedades gastaram R$ 9,00 por hectare em pastagensR$ 50,00 por cabeça ao mês em nutrição, um investimento bastante forte na nutrição para manter essa lotação e esse ganho. Mas o que importa é justamente produzir uma arroba com margem – e você viu que ela produziu a menos de R$ 125,00 a arroba. Elas também tiveram um custo fixo entre os mais baixos de todos, naturalmente, de 34%. Elas gastaram R$ 9,78 de mão de obra por cabeça ao mês, tiveram um colaborador para 683 cabeças e faturaram R$ 695.000,00 por funcionário, o que é realmente um faturamento muito interessante”, acrescentou.

 

Segundo Chaker, os números e os resultados construídos a partir deles mostram que há uma “nova pecuária” sendo praticada no Brasil. “Esse perfil de propriedade nos inspirou a enxergar que existe uma nova pecuária, sim. Uma pecuária que está buscando R$ 2.000,00 por hectare, 5% sobre o que vale a propriedade, mais de 20% sobre o que vale o rebanho, que são fazendas super intensivas, mas elas não só são super intensivas na produção, elas são, principalmente, super intensivas na gestão, super intensivas no conhecimento e propriedades que […] devem servir como um guia para você, que quer buscar melhores resultados”, avaliou.

 

Entretanto, de acordo com o consultor, atingir tal patamar não é uma virada de chave automática, e sim uma edificação lenta e concreta. “Saiba que a construção desses resultados é um passo a passo, você não deve sair colocando um volume gigante de dinheiro sem ter informação e sem antes intensificar a gestão da sua propriedade. Mas quem aprendeu a fazer essa pecuária está entregando resultados incríveis, que superam grande parte de todas as outras culturas que nós temos dentro do agronegócio”, concluiu.

 

Fonte: Giro do boi

 

Link: https://www.girodoboi.com.br/videos/dicas-do-chaker/veja-como-sua-fazenda-de-recria-e-engorda-pode-faturar-r-1-700-por-hectare/

22 de Janeiro de 2021

646

Autor

Inttegra
Inttegra

Título